A Preparação de Lâminas para a Visualização no Microscópio de Luz

Para que um objeto possa ser observado no microscópio de luz é necessário que ele seja translúcido, o que possibilita a passagem de luz. Em observações pouco rigorosas, o corte de um tecido animal ou vegetal pode ser obtido com uma navalha. Já para análises mais detalhadas, utiliza-se o micrótomo, um aparelho que obtém cortes muito finos de um tecido.

Micrótomo, aparelho que permite a obtenção de cortes muito finos de tecidos.

Para obter cortes usando um micrótomo, o material biológico deve passar antes por duas fases: a fixação e a inclusão. A fixação consiste em usar substâncias químicas conhecidas como fixadores (formol, ácido acético, álcool) para matar rapidamente as células, conservando sua estrutura por longo período de tempo. Já a inclusão consiste em impregnar o material biológico com uma substância dura, o que facilita os cortes no micrótomo. A inclusão destinada a microscopia óptica geralmente é feita com parafina derretida pelo calor de estufa a aproximadamente 65º.

1 - O material é fixado.

2 - É feita imersão em parafina.

3 - O bloco de parafina solidificada é retirada da fôrma.

4 - O bloco contendo o material é submetido a cortes seriados no micrótomo.

Os cortes obtidos são colocados em lâminas de vidro e após a remoção da parafina com xilol, são corados. Os corantes evidenciam certas partes da célula, sendo que os mais comuns são: azul-de-metileno, lugol, nitrato de prata, verde-jânus, fucsina, tetróxido de ósmio, hematoxilina e eosina. Por fim, pinga-se uma gota de bálsamo-do-canadá (cola especial — resina de um pinheiro) sobre os cortes corados, cobrindo-os com uma lamínula.

1 - Transferência dos cortes para a lâmina utilizando pincel.

2 - Dissolução da parafina com xilol.

3 - Coloração.

4 - Aplicação de bálsamo-do-canadá para colocação da lamínula.

No detalhe, fotomicrografia ao microscópio óptico de um corte de fígado de mamífero preparado conforme a técnica de inclusão em parafina (aumento 160x). Existem outras técnicas, como o esfregaço e o esmagamento, que podem ser utilizadas para preparar lâminas.

Esfregaço

Essa técnica consiste em dissociar células em meio líquido, espalhando o material sobre uma lâmina de vidro. Observe, na sequência, como é feito o esfregaço de sangue e o de esfoliado de mucosa bucal. Esfregaço de sangue. Pinga-se uma gota do material na lâmina e, em seguida, usando outra lâmina, em uma inclinação de aproximadamente 45º, espalha-se bem o sangue, formando uma camada.

Lâmina de esfregaço sanguínea vista ao microscópio óptico (800x)

 

Lâmina de esfregaço sanguínea vista ao microscópio óptico (1000x)

 

Preparação de uma lâmina de raiz de cebola pela técnica do esmagamento.

1 - As pontas das raízes são cortadas e fervidas em orceína para amolecer e corar as células.

2 - As raízes são picadas e uma gota de orceína fria é utilizada.

3 - O preparo é coberto com uma lamínula.

4 - O preparo é esmagado por pressão do polegar.

                        

       Foto de micrografia de uma epiderme de cebola vista            Foto de micrografia de uma epiderme de cebola vista 

         através do microscópio óptico  (aumento de 150x)                  através do microscópio óptico (aumento de 640x)

 

Fotografia de um ramo da folha da Elodea

                      

                                                100x                                                                                                             400x

1000x

Micrografias da “folha” da Elodea vista ao microscópio óptico. Várias células são vistas, contornadas por parede celular e internamente apresentando cloroplastos, organelas circulares e esverdeadas.

Assuntos


Todos
Introdução à Biologia
Bioquímica Celular
Citologia
Histologia Animal
Os Seres Vivos Primitivos
Animais
Plantas
Fisiologia Animal
Reprodução e Desenvolvimento
Genética
O Surgimento e a Evolução dos Seres Vivos
Ecologia
Animais - Educação Nota 10